Criador de Dragon Drive, Kenichi Sakura, fala sobre o impacto que Dragon Ball teve na sua infância

 

Criador de Dragon Drive, Kenichi Sakura, fala sobre o impacto que Dragon Ball teve na sua infância. Entrevista e ilustração foram publicadas na “Dragon Ball Children Volume 11” em outubro de 2003. Confira tradução:

Tendo conversado com os meus pais dizendo “Ki-n”, “N’cha!” e “Hoyo” (bordões da Arale de Dr. Slump), eu apenas adoro Toriyama-sensei desde pequeno.

Quanto a Dragon Ball, às vezes eu não tinha dinheiro para comprar a Jump, quando eu fazia o ensino fundamental, então eu ia ler em uma loja de okonomiyaki (tipo de panqueca) no meu bairro, onde você podia comer por 100 ienes.

Meus amigos e eu ficávamos tão desesperados que juntávamos um pouco de dinheiro por vez e pedíamos um okonomiyaki. Em seguida, ignorávamos o okonomiyaki e abocanhávamos Dragon Ball.

Gostava tanto de Dragon Ball que recortava painéis das minhas páginas favoritas dos volumes (pensando bem, fiz algo impensável), as colava no meu caderno e trabalhava com o máximo cuidado ao escrever comentários. (Gratuitamente, ainda por cima.)

Com o anime, a regra era: sentar ao estilo seiza na frente da TV, cinco minutos antes de começar. Eu pedia para os meus pais me comprarem algo chamado “Koro-chan Pack” (coleção de músicas de Dragon Ball) ou qualquer outro, e ouvia todas as semanas. “Mezase Tenkaichi”, “Urufu Harikēn”; mesmo agora, eu consigo cantar perfeitamente!!

Quanto mais eu penso, e releio, mais eu percebo que foi Dragon Ball que me fez querer fazer mangás shonen.
Eu amo Dragon Ball!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*