Criador de Nanatsu no Taizai, Nakaba Suzuki, fala sobre o impacto que Dragon Ball teve na sua infância

 

Criador de Nanatsu no Taizai, Nakaba Suzuki, fala sobre o impacto que Dragon Ball teve na sua infância. Entrevista e ilustração foram publicadas na “Dragon Ball Children Volume 10” em setembro de 2003. Confira tradução:

Quando eu era garoto, meu irmãozinho sempre lia a Jump antes de mim. Na verdade, é mais correto dizer que eu deixava ele ler.

Naturalmente, sentia tanto a necessidade de lê-lo primeiro que tentava tomá-lo, mas, mesmo tentando, eu sempre acabava lendo depois. Até a manhã do dia seguinte (com isso, sempre me atrasava para a escola).

Por que levaria tanto tempo para ler uma única revista, você pergunta? É simples. É porque Dragon Ball era muito agradável.

Uma ou duas horas seria o suficiente para ler a Jump completa, mas apenas para este mangá, isso não foi o suficiente. Isso porque, toda semana, eu lia dezenas de vezes, saboreando (de canto a canto cada painel).

Me lembro de ter ficado tão chocado quando Freeza mudou para sua forma final que pensei em não ir para a escola. O design era simples, legal, de aparência forte e capaz de fazer você sentir um medo avassalador. E, quando eu era criança e agora que sou mangaká, fico admirado com o poder de Toriyama-sensei, que consegue desenhar isso tão facilmente.

Eu queria tanto saber o desenrolar da história da próxima semana que virava as páginas várias vezes, suspirando em todas.

Naquela época, eu: “Dragon Ball da semana que vem não pode sair mais cedo?” Um dia, eu quero poder desenhar um mangá que faça as pessoas dizerem isso. Dragon Ball não apenas me permitiu me divertir, mas também, ainda que pouco, me permitiu abrigar grandes ambições. Obrigado, Dragon Ball!!

Oh, a propósito, meus personagens favoritos são Goku e Vegeta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*