Dragon Ball Z Kai estréia Segunda na Cartoon Network (04/04/2011)!

Como muitos devem saber, Dragon Ball Kai foi adquirido no Brasil pela ANGELOTTI – Licensing & Entertainment Business e passou pelo processo de dublagem ano passado pelo estúdio  BKS.

Dragon Ball Kai teve o nome alterado no Brasil para Dragon Ball Z Kai, tal como ocorreu com o licenciamento da série nos EUA e seria exibido inicialmente pelo canal de TV por assinatura Cartoon Network.

Entretanto, Dragon Ball Z Kai passa por uma série de polêmicas que de uma forma ou de outra interferirá no produto final exibido a partir do dia 04 de abril de 2011. A começar, o estúdio inicial que dublaria Dragon Ball Z Kai era a Álamo, mas optou-se pela BKS, um estúdio que possuía sérios problemas de relacionamento com diversos dubladores da versão original de Dragon Ball Z exibida aqui no Brasil mas que, a princípio, seriam escalados em Dragon Ball Z Kai. Entretanto, Wendel Bezerra, famoso por dublar Goku em Dragon Ball Z, não concordou com a BKS sendo responsável pela dublagem de Dragon Ball Z Kai, alegando que a empresa não os prestigiava. Não só ele, mas outros dubladores, como Wellington Lima, que dublou Bardock, Raditz e Majin Boo, não gostaram da idéia e inicialmente se recusaram a participar da dublagem. Wellington Lima chegou a declarar o seguinte:

“Não é que eu não queira dublar a série. Eu não dublo na BKS porque é uma casa que decidiu excluir os dubladores de outros trabalhos. Eles só nos chamam quando têm uma série feita e precisam do elenco”.

Por sorte, muitos dubladores, incluindo Wendel Bezerra e Wellington Lima, entraram em acordo com o estúdio, pelo bem dos fãs. No entanto, Vagner Fagundes(Gohan adulto), Luís Antônio Lobue (Piccolo) e Alfredo Rollo (Vegeta) não chegaram em um acordo. A BKS escalou Dado Monteiro (o Inoiche de Naruto) como dublador do Vegeta e Wagner Santos como dublador do Piccolo.

Passada toda essa intempérie, surge recentemente mais outra bomba. De acordo com Renan Martins, Wendel Bezerra deu a entender que todo o material de Dragon Ball Z Kai usado para a dublagem é na verdade a versão americanizada da série. Segue trechos da declaração de Wendel Bezerra:

“(…) Dragon Ball Kai está indo no mesmo caminho. O original que nós ouvimos [no momento da dublagem] é em inglês, mas a tradução é feita do mangá, talvez esteja um pouco mais fiel”.

“(…) Mas pra gente dublar é muito difícil, já que estamos lendo uma coisa e ouvindo em inglês outra completamente diferente”.

“(…) A fase Z nós dublamos com a versão mexicana também. Inglês em nunca tinha ouvido. Só em espanhol e alguns especiais eu ouvi em japonês”.

Quem acompanhou as primeiras exibições da franquia Dragon Ball no Brasil tinha fortes evidências (nunca confirmadas oficialmente) de que todo o material disponibilizado para a dublagem era baseado na versão da INTERTRACK do México, responsável pela dublagem espanhola da série naquele país. Tanto que a tela de anúncio dos episódios aqui no Brasil aparecia em Espanhol, tal como a tela dos créditos finais. Lembrando que isso só era possível de ser percebido na exibição de Dragon Ball Z pela Cartoon Network. Já na Globo, apesar dos títulos dos episódios aparecerem em Português, o encerramento recebia o logo da INTERTRACK no final. Dragon Ball GT e o primeiro Dragon Ball também possuíam os títulos em Português, sem referências da INTERTRACK. Mas como a responsável pelos direitos da série no Brasil era a antiga empresa Da Licença (hoje ANGELOTTI – Licensing & Entertainment Business) e seu papel era a venda dos direitos de exibição do seu material para as emissoras de TV (Cartoon Network, BAND e GLOBO) e, comparando os principais cortes da série com as versões exibidas no México, fica evidente que todo o material adquirido advém do mesmo disponibilizado para a INTERTRACK. 

E qual o problema disso? Simples. Desconsiderando a GLOBO, famosa por inúmeros cortes próprios relacionados com a censura ou simplesmente com a redução de tempo do programa, as demais emissoras que exibiram Dragon Ball além dos seus próprios cortes, já recebiam um material não apenas com uma dublagem modificada da original japonesa (e obviamente suavizada), mas com os próprios cortes e manipulações do produto feitos por lá. E, considerando que Dragon Ball Z Kai é o mesmo já dublado e possivelmente o mesmo já modificado nos EUA, as chances de encontrarmos isso nos próximos capítulos é bastante considerável:

Sim! Dragon Ball Z Kai é exibido nos EUA no canal The CW Television Network, pela 4KIDS, sendo esta responsável por esta vergonha alheia acima. Há outros indícios de censuras usando manipulação digital pela 4KIDS, mas Mr. Popo azul é a síntese do absurdo e do desrespeito não apenas aos fãs, mas com a obra original de Akira Toriyama.

Outro grande problema se deve ao próprio Dragon Ball Kai em si. Considerado apenas como um boato inicialmente, o número de episódios totais da série se confirmou nos últimos meses como verídico: próximo dos 100 capítulos. Ou seja, finalizada na saga de Cell. Se Dragon Ball Kai era então uma espécie de upscaling sem fillers da obra original, o encerramento brusco sem a saga de Buu destoou completamente o objetivo proposto, visto que a saga de Buu existe no mangá.

Mesmo para quem detestava a saga do Buu em anime e ficou feliz com a notícia, vale lembrar que a saga no mangá é minúscula e que de fato a versão em anime sim era provida de muitos fillers de qualidade para lá de duvidosa, que obviamente seriam limados em Dragon Ball Kai. Além disso, se Wellington Lima foi o grande responsável pelo sucesso que o personagem Majin Buu fez no Brasil com sua voz épica (“Vou te Comer, vou te comer!”), o que será do dublador sem dar a voz ao personagem em questão? Nossa preocupação não é exatamente com a falta de personagens para dublar, mas sim com os outros personagens que provavelmente Wellington Lima será responsável pela voz. Não desmerecendo seu trabalho, mas se a idéia da dublagem brasileira de Dragon Ball Z Kai era a de manter as vozes dos personagens antes dublados na versão original, isso signifca que muitas outras vozes poderão ser alteradas além das já confirmadas, o que pode desagradar muitos fãs.

E não é só isso. Dragon Ball Kai passou recentemente por uma grave acusação de plágio nas suas faixas musicais (BGMs), a ponto da TOEI ANIMATION emitir uma nota assumindo as acusações:

9 de março de 2011
Toei Animation Corporation

Sobre as BGMs do anime ‘DragonBall Kai’
Veio à tona a informação de que as músicas gravadas para o anime “Dragon Ball Kai”, que é produzida por nossa empresa, possui várias composições musicais que podem eventualmente violar os direitos de terceiros. Como estas composições musicais estão sendo usadas como BGMs em ‘Dragon Ball Kai’, estamos tomando medidas para substituí-las o mais rápido possível.
Nós também estamos avançando com a investigação de todos os fatos, discutindo futuras medidas preventivas com as partes interessadas.”

Todas as faixas musicais compostas por Kenji Yamamoto foram retiradas dos últimos episódios de Dragon Ball Kai no Japão, entrando no no lugar as faixas da trilha sonora original de Dragon Ball Z, criadas por Shunsuke Kikuchi. E tanto a TOEI ANIMATION quanto a FUJI TV passaram a creditar Shunsuke Kikuchi como responsável pela trilha sonora de Dragon Ball Kai.

Com isso, produtos como CDs, Blu-rays e DVDs sofreram (e sofrerão) com isso. Alguns foram retirados de venda, outros foram simplesmente cancelados (como o DragonBall Kai: Original Soundtrack Collection) e até mesmo produtos baseados em Dragon Ball Kai lançados em território americano sofreram adiamento (como o Blu-ray Dragon Ball Z KAi Part 5, que foi adiado de 3 de maio de 2011 para 7 de junho de 2011).

Se a TOEI ANIMATION tomou medidas urgenciais para alterar as faixas musicais dos últimos episódios de Dragon Ball Kai produzidos, retirando de comercialização os produtos já lançados com as faixas acusadas de plágio e cancelando os que seriam lançados, é de se esperar que tais medidas sejam adotadas em outros países que obtiveram os direitos de exibição da série, ainda mais sabendo que em alguns lugares do Japão onde a série sofre atrasos de exibição, os episódios já teriam as faixas musicais alteradas para as criadas por Shunsuke Kikuchi.

Será que de alguma forma ou de outra isso possa vir a alterar a maneira com que Dragon Ball Z Kai será exibido aqui no Brasil? Logo saberemos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

2 Comentários

  1. Avatar
    Sandro

    Assisti o “final” da saga Cell no dia  27/03 pela Fuji TV. Talvez algum dia seja mostrada a saga Buu.
    E como passava a partir das 9 da manhã houve alguns cortes ou alterações (esperem para ver o que aconteceu com Raditz). Pelo menos reduziram episodios que so enrolavam hehehe!
    Mas nada que atrapalhe o desenrolar de Dragon Ball Kai…